terça-feira, 5 de abril de 2011

Tá difícil

É, viver tem sido difícil. Além de tudo o que gostamos ser ilegal, imoral ou engordar, as pessoas estão ficando mesquinhas, ignorantes, o amor pelo próximo parece estar entrando em uma definitiva escassez, junto com os outros belos sentimentos.

A música não é mais feita como antigamente, tal como os filmes. Os homens também estão distintos do que costumavam ser a algumas décadas atrás e, sobre as mulheres eu prefiro nem comentar (me refiro aqui aos lados negativos, sem nenhum tipo de generalização). O trânsito está uma loucura, os líderes políticos cada vez menos capacitados e o equilíbrio ecológico está por um fio. Estudantes não respeitam mais seus professores, professores não respeitam mais seus alunos. Policiais batem em pessoas inocentes, assassinam bandidos a queima roupa, punindo-os com uma pena que não está sequer dentro da constituição do nosso país. A saúde pública não é digna de atender pelo nome de SAÚDE . Como ex estudante do ensino médio, me dói lembrar a respeito do NOVO ENEM, o maior episódio de desrespeito ao estudante de todos os tempos.

Assaltos em cada esquina, atropelamento em massa sem nenhuma explicação, homicídios dolosos, seqüestros, tudo citado a cima e muitos, muitos mais são os problemas que fazem parte do nosso cotidiano.
Por incrível que pareça, eu não quis ser negativa. Pra falar a verdade, essas são coisas as quais nunca comento a respeito, justamente por querer levar positividade a todo lugar! Porém minha compreensão tem chegado a seu limite extremo, diante de tantas barbaridades. Ser feliz está ficando cada vez mais difícil, uma vez que a FÉ EM DEUS está deixando de existir. Também pelo fato de  estarmos todos conectados uns aos outros, e metade do mundo estar sofrendo.

Não somos mais alguém que gosta de comer salada, ou alguém que gosta de ouvir rock, ou aquela pessoa que gosta de dançar, aquela garota que sonha em ser veterinária, aquele garoto que sonha em ser piloto. Somos números, somos corpos, somos lixo.

Deixo com vocês um pouco de reflexão. Pra alguns essa música, cantada por bob marley com letras baseadas no discurso de Haile Selassie na liga das nações em 1936, já é manjada. Mas pra mim, diz tudo, pois podemos não estar em uma guerra declarada, mas tudo o que citei nesse post prova que vivemos sim, em guerra, e uma guerra que parece nunca ter fim.



Pra que não sacou a letra da música, aqui vai o discurso que a originou

"Enquanto a filosofia que declara uma raça superior e outra inferior não for finalmente e permanentemente desacreditada e abandonada; enquanto não deixarem de existir cidadãos de primeira e segunda categoria de qualquer nação; enquanto a cor da pele de uma pessoa for mais importante que a cor dos seus olhos; enquanto não forem garantidos a todos por igual os direitos humanos básicos, sem olhar a raças, até esse dia, os sonhos de paz duradoura, cidadania mundial e governo de uma moral internacional irão continuar a ser uma ilusão fugaz, a ser perseguida mas nunca alcançada. E igualmente, enquanto os regimes infelizes e ignóbeis que suprimem os nossos irmãos, em condições subumanas, em Angola, Moçambique e na África do Sul não forem superados e destruídos, enquanto o fanatismo, os preconceitos, a malícia e os interesses desumanos não forem substituídos pela compreensão, tolerância e boa-vontade, enquanto todos os Africanos não se levantarem e falarem como seres livres, iguais aos olhos de todos os homens como são no Céu, até esse dia, o continente Africano não conhecerá a Paz. Nós, Africanos, iremos lutar, se necessário, e sabemos que iremos vencer, pois somos confiantes na vitória do bem sobre o mal."


Haile Salassie, imperador da Etiópia de 1930 a 1974.

2 comentários:

  1. Fantástico, Nanda. O lixo se acumula a cada ano mais. Bota em Cardinot às 5 da manhã. Isso prova.

    ResponderExcluir